O Feminino Sagrado está chamando a todos: homens e mulheres. É hora de despertar. De integrar à natureza a outra face que havia sido esquecida ou destorcida. Enquanto não conseguimos ver o feminino de forma respeitosa, verdadeira e honrosa, dentro de nós, também estaremos vendo o feminino desta maneira. Sendo, que o princípio feminino é a primeira referência do feminino que temos, a forma como vemos e buscamos também as mulheres e relacionamo-nos com elas no mundo, assim como, a maneira como expressamos o nosso lado feminino.

Por isso, estou formalmente fazendo um convite para todos os homens que verdadeiramente desejarem embarcar nessa jornada comigo. Eu, como guardiã dos Mistérios do Feminino, chamo os homens para voltarem-se mais uma vez para o Divino Feminino. Uma jornada de cura e acima de tudo de ressignificação do que de fato é o Divino Feminino, o Sagrado Feminino, e as deusas em cada um de vocês. Um convite para reapropriarem-se adequadamente de uma parte que também é de vocês e que até então vem sendo negada ou mal interpretada. Basta observar no mundo a forma como lidamos com as mulheres ou com aquilo que acreditamos “ser coisas de mulheres”. As coisas andam meio perdidas em más traduções, interpretações, generalizações, estereótipos, rotulações e afins sem fim.

Convido, primeiramente, a entender um pouco sobre a situação atual do feminino no mundo. Neste primeiro convite você irá ter uma visão geral do que anda acontecendo com a dinâmica do Feminino e do Masculino. Porque a ideia não é ter a soberania de um sobre o outro, mas uma soberania que pode existir em ambas as partes e que podem existir lado-a-lado sem precisar submeter ou corromper. Uma liderança compartilhar. Uma parceria equilibrada. Um respeito mútuo a singularidade de cada um. O que no mundo contemporâneo pode parecer muitas vezes utopia ou viagens esquizotéricas, mas não é.

Venha, homem. O Divino Feminino também é seu de direito. A Mãe é para todos. O Feminino habita em todos. O Masculino Sagrado necessita do Feminino para encontrar a paz, e assim, poder expressar-se de forma autêntica, sem ficar e viver na loucura de “acreditar” que sua única via de expressão é produzir, fazer, submeter, guerrear, conquistar poder, dominar e ser potente. O Masculino Sagrado é muito mais do que isso. O Sagrado Feminino é muito mais do que vemos por aí. Aliás, o que vemos e tudo que fomos ensinados, pouco tem do que de fato essas energias/forças são.

Esse é meu convite. Um convite para que você possa ser quem verdadeiramente é. Um convite para receber a Mãe, assim como recebeu o Pai. Um convite para reconstruir-se de dentro para fora. Um convite para encontrar dentro de você o homem integral: livre e autêntico. Um convite para entender de onde veio, quem é e acima de tudo, construir sua identidade e vida pessoal de forma mais livre e verdadeira. Um convite para adentrar os Mistérios do Sagrado, e realizar-se como ser humano. Um convite para não se conformar e ser muito mais do que hoje você é. O Divino Feminino e a Deusa te chama para ser muito mais. Te chama para não se conformar em nada junto a maré da massa, e libertar-se desses véus ilusórios que fazem-nos se comportar e acreditar em mentiras e viver de forma pequena, para o homem que pode vir a ser.

Fica o convite. Em breve, irei lançar uma série de artigos trazendo para vocês, homens, um pouco do Sagrado Feminino, e claro, do Sagrado Masculino. Se você topar aceitar essa jornada, tenho certeza que nunca mais será o mesmo, porque será quem na verdade você tem que ser.

por Ana Paula Malagueta

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This