Houve um momento ou melhor dizendo, uma sequência de momentos onde rompeu-se gradativamente o elo que existia entre o masculino e o feminino na história da humanidade. Não estou falando de homens e mulheres, mas sim, da máxima das faces do Divino e como lidamos com ela. Mas, sendo assim, também estou falando de homens e mulheres ou melhor, de seres humanos, porque assim como acima também abaixo, dentro e fora. Quando há uma ruptura e separação, ela se dá em todas as partes e tudo sofre a consequência. Para começarmos a restaurar este vínculo e relação, entre o Grande Feminino e Masculino, precisamos começar a trabalhar dentro de nós. Isso precisa ser feito em doses homeopáticas, para que possamos ir acompanhando e ressignificando nossos valores, nossas ações, nossos conceitos, nosso comportamento, enfim, tudo que até então conhecíamos. Um caminho importante e necessário, se desejamos ver novamente um mundo realmente e verdadeiramente equilibrado e de parceria.

Para tal você precisa estar aberto. Precisa começar a dispor uma parte de si mesmo para receber. É como quando convidamos alguém para uma festa. Enviamos o convite, mas também, esperamos este convidado com o melhor que podemos oferecer a ele. E o que podemos oferecer ao Divino Feminino? Nossa sincera vontade.

É através dela que iremos começar uma relação do zero. Porque até então, todas as referências que eu tenho do Feminino estão completamente deturpadas. O que não é um mal negócio somente para as mulheres, mas sim para você também homem. A restauração do Feminino é necessário em todos nós. Portanto, é necessário dar um reboot. Realmente ter vontade de recomeçar. Porque é só limpando o que está obscuro que poderemos de fato, transpor os véus da nossa total ignorância. É tirar e esvaziar nosso interior, nossas antigas experiências, nossas lembranças, nossas memórias e referências do feminino, para realmente, encontrar o verdadeiro feminino. Sua relação e expressão desta energia será restaurada, assim como sua relação e visão do feminino será ressignificada, e suas relações com as mulheres também serão revisitadas. É um novo todo porvir.

Não podemos esquecer que nada tem a ver este encontro com o feminino tornar-se “afeminado”, este é um conceito que não cabe aqui. Trata-se sim, de tornar-se inteiro. Porque a energia do feminino também faz parte de você e sem dúvida, alguma, ela irá desafiar o masculino interior a ser melhor, mais maduro e mais autêntico do que hoje é.

Ouço muitos homens dizendo-se feministas, e sem dúvida alguma, o mundo será um lugar muito melhor sem o patriarcado, não somente para as mulheres, mas para os homens também. Um tempo de verdadeira parceria é necessário. E para isso acontecer, precisamos realizar isso em nosso interior. Uma presença autêntica do Feminino e Masculino Sagrados dentro de nós – o casamento alquímico.

Uma forma bem simples e prática de começarmos a fazer isso e deixar para trás as antigas referências, para então, poder recomeçar. Vamos então, esvaziar todas as pastas da nossa história e limpar nosso registro. Para tal, vamos usar a respiração e mais sincera intenção.

  1. Sente-se confortavelmente. Pode ser em uma cadeira ou com as pernas cruzadas. Coluna ereta, ombros relaxados, peito aberto, braços soltos com as palmas das mãos voltadas para cima.
  2. Feche os olhos. Respire somente pelas narinas e prolongue sua expiração.
  3. Comece a colocar a intenção para que cada inspiração te leve em direção às lembranças que você tem que envolvam o que você considera FEMININO em sua vida. E vá observando. Apenas observando. Procure não interagir com o que vê. Imagine como se estivesse sentado assistindo um filme.
  4. Agora, comece a “pegar” todas as imagens que tem julgamentos de valores, negatividade, agressividade, mágoas e ressentimentos, opressão com relação ao feminino e vá concentrando-as todas em um grande cálice ou caldeirão que irá visualizar localizado à sua frente. Vá enchendo-o até ficar bem cheio. Antes de transbordar, comece a usar a respiração para ir liberando seu conteúdo em direção à profunda escuridão da terra, sentindo que vão sendo purificados. Faça isso até ficar completamente vazio.
  5. Vá respirando até sentir que tudo foi embora. Observe como está sua mente, a qualidade de seus pensamentos e as sensações gerais com relação a esse espaço que surgiu dentro de você.
  6. Para concluir essa meditação, concentre-se que na inspiração você irá convidar para dentro deste cálice ou caldeirão o VERDADEIRO e AUTÊNTICO Divino Feminino para dentro de você, completamente intocado por julgamento de valores pessoais ou de quaisquer outros. Inspire e repita mentalmente:
    “Convido para que aqui venha habitar em mim

    o Divino Feminino que em parte me compõe
    para restaurar o elo perdido e tornar inteiro novamente em mim
    o que antes separado estava.”

  7. Repita até sentir que o que antes vazio estava agora preenchido novamente vai sendo. Respire bem profundamente e agradeça. Quando estiver pronto, encerre realizando pequenos movimentos com o corpo.

A ideia é que possamos nos dedicar a essa meditação de Limpeza e Preenchimento por vários meses até conseguirmos sentir que “as grandes pedras” interiores que criamos ao longo da vida e deturparando nossa visão do feminino, possamos ser ao menos mexidas e com grande sorte e vontade, removidas, para que possamos realizar uma nova construção internamente, como os grandes templos das Deusas de outrora, onde Elas sintam que novamente são bem-vindas e que podemos ser verdadeiramente reverenciadas e honradas, pelo que de fato são e não pelo que havíamos dito que eram.

Que essa meditação possa ser um primeiro contato de um rico relacionamento que irá surgir na sua vida. Restaurando o que sempre foi presente na humanidade que é a Mãe, que é o Feminino, que é o Poder da Vida dentro de nós.

Blessed Be!

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This