Quando falamos de Lua Crescente, estamos falando dos arquétipos da Menina, Donzela e Guerreira. Estamos também falando do encontro da Lua (feminino) com sua face mais jovem. Estamos falando de recomeços, aventuras, criatividades e conquistas.
E, não por acaso, também estamos falando da minha lua. Talvez, seja por isso, que este texto veio com atraso. Simplesmente, não consegui escrever sobre ela antes. Ela se fechou como um caramujo quando encosta nele. Desapareceu como um gato, quando você fica tentando pegá-lo e mantê-lo no seu colo por tempo demais. Deu uma de fantasma…saiu estrada afora, sozinha e desligou o celular, para não ter a opção de ser encontrada.
Precisamos então, observar as escolhas da nossa Menina. Porque se for para o lado sombrio de capricórnio, será aquela menina séria demais para a sua idade, preocupada com coisas com as quais ainda não deveria estar. Muito rígida. Muito fechada. Muito madura antes da hora. O mundo será visto em preto e branco. Porém, se for na luz, irá usar seu potencial infinito de menina, da criança mágica que habita em nós, para trazer esperança, cores e vida as nossas vidas, cinzentas e cobertas de asfalto. É ela, que irá fazer arte em um muro cinza. A questão aqui é: vou pintar o mundo da minha criança de cinza e apagar a luz ou vou colorir seu mundo e permitir que minha maturidade resgate um pouco de magia?
Precisamos, observas as escolhas da nossa Donzela. Porque se for para o lado sombrio de capricórnio, será aquela donzela que passa em cima de todas as pessoas, pisando em cabeças, vontades e sentimentos alheios para conquistas o que deseja a todo e qualquer custo, sem dó nem piedade. Porém, se for na luz, irá usar sua sabedoria estratégica, para planejar todos os seus passos, como as maravilhosas cabras, que chegam nos lugares mais absurdos, por sua tenacidade, perseverança e foco. A questão aqui é: vou ser tão focada que não vejo quem minha flecha machuca pelo caminho ou vou ser focada porém, consciente de cada passo que dou e onde piso?
Precisamos, observar as escolhas da nossa Guerreira. Porque se for para o lado sombrio de capricórnio, será a foice que corta cabeças sem discernimento por medo de rejeição, por insegurança ou desconfiança infundada. Porém, se for na luz, será a foice do discernimento que toma decisões precisas, estratégicas, pensadas, estruturadas e consistentes rumo a perfeita realização de tudo que deseja com esforço aliado à esperteza e trabalho constante. A questão aqui é: sei usar a foice de forma construtiva ou apenas destrutiva?
* Estes textos fazem parte do meu trabalho de expansão das energias femininas que regem nossos ciclos. A forma mais disseminada e conhecida segue, mais ou menos, o seguinte padrão:
– Lua Crescente – Primavera – Donzela
– Lua Cheia – Verão – Mãe
– Lua Minguante – Outono – Feiticeira
– Lua Nova – Inverno – Anciã
Porém, faz parte dos meus estudos e trabalho desmembrar os 4 arquétipos principais do ciclo em uma triplicidade. Em breve, esta pesquisa será formatado em um curso avançado sobre os estudos da Mulher Cíclica e os arquétipos femininos que regem o nosso ciclo.

Imagem: desconhecido
_________________________________
Copyright © Todos os direitos reservados.
ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por Lei.
Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This