Tudo é energia. Energia que toma forma. Energia que vem e que vai. Energia que habita dentro de nós e manifesta-se de diferentes formas. A raiva é uma dessas energias. É claro, que vivemos em uma cultura, que muitas vezes, procura com que a maioria das pessoas reprimam suas emoções, do que de fato, expressem-as saudavelmente. Porém, quanto mais tentamos esconder e empurrar para dentro de nós essas energias, que vem e precisam ser acessadas, honradas e expressadas, mas elas vão se voltando contra nós. Porque de uma maneira ou de outra, elas precisam fluir e quando não saem, começam as nos corroer por dentro.

Um dos sentimentos mais difíceis de se lidar pode ser com a raiva. Especialmente, quando ela vem com força durante o período pré-menstrual. Você nunca sentiu raiva durante a TPM? A primeira coisa que precisamos ter em mente é que a raiva é apenas uma energia, assim como todo o resto. É um impulso. Sendo assim, ela por si só nem é bom e nem ruim. Ela simplesmente é. A segunda coisa é que a raiva que sentimos, na verdade, não está relacionada com uma situação ou com uma pessoa. Mesmo quando nós explodimos ou direcionamos ela para alguém ou algo. A raiva está sempre relacionada com você mesma. Sim! Parte desses segundo passo, é separar a raiva da pessoa que a evocou ou da situação. Para acessá-la de forma limpa, nua e crua. A terceira coisa é que a raiva é nossa aliada, nossa amiga e maior parceira. Veja a raiva como sua amazona interior. Pedindo que você aja por você mesma! Sim, a raiva é sempre um sinal, um movimento, um pedido interior para que em um nível mais profundo você responda às necessidades que tem e não estão sendo respeitadas, ouvidas ou honradas. A raiva vem quando estamos esquecendo de algo vital para nós mesmas. Então, ao invés de sair culpando os outros por ela ou descontando nossas próprias frustrações internas nos outros, precisamos parar e olhar para o que precisamos. E se precisamos de algo e a raiva veio para nos lembrar disso, com certeza, é algo que você está esquecendo de se dar. A raiva conversa direto com nós mesmas! A maravilhosa Dra. Christiane Northrup aponta que nós mulheres precisamos aprender que ninguém pode nos fazer sentir raiva ou nos deixar com raiva. Porque a raiva é nossa, e está nos dizendo algo que precisamos saber.

Uma quarta coisa é quando sentirmos a raiva, parar e perceber onde sentimos ela. Em qual local do meu corpo percebo mais essa raiva? Como essa raiva é? Eu consigo defini-la? Consigo dar uma forma para ela? Consigo realmente localizá-la? Porque quando a raiva não é de fato acessada, ela vai se alojar ou se manifestar em algum outro lugar. Isso pode ser feito através de conflitos e de colocar a raiva em outra pessoa. Porque quando não reconhecemos algo em nós, nós ou a reconhecemos em outra pessoa (e atraímos pessoas raivosas ou que vem jogar essa nossa raiva não externalizada em cima de nós, como uma projeção) ou ela pode ir se manifestar em algum órgão, endócrina ou parte do corpo. Então, realmente precisamos estar alertas e prontas para acolher essa raiva.

A pergunta é: o que a sua raiva está querendo lhe dizer? O que a sua raiva está querendo mobilizar em sua vida? Será que você foi condicionada que sentir e expressar raiva era algo negativo? Será que você carrega crenças e paradigmas que negativam ou desvalorizam essa raiva? Será que você tem o hábito de culpar os outros pelas sua raiva?

De fato ninguém pode nos deixar com raiva ou qualquer outro sentimento sem nossa permissão. Porque esse sentimento é sempre nosso. Portanto, é importante reconhecer isso, para que possamos sempre conversar e relacionar-mos diretamente com a raiva, sem envolver pessoas ou situações enquanto fazemos isso. E investigar profundamente quais ajustes precisamos fazer em nossas vidas? Afinal, a raiva é uma energia de movimento, de ação e que está tentando te impulsionar. O que você quer? Do que você está precisando? O que está por detrás dela?

Converse com esse sentimento. Movimente-se! A raiva é uma energia que precisa de espaço. Então, quando ela vier, não fique parada. Vá andar. Vá correr. Vá se movimentar. E enquanto faz isso, vá perguntando para ela, o que ela quer? do que ela precisa? por que está vindo agora e dessa maneira? o que precisa acontecer? o que precisa mudar?

Tenho certeza, que aliar-se à sua raiva, principalmente durante o período pré-menstrual, vai transformar essa fase de uma tensão para uma transformação como você nunca viu antes! Basta mudar a direção e o uso das energias que estão disponíveis para você!

Imagem: Laura Blair Irwin
_________________________________
Copyright © Todos os direitos reservados.
ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por Lei.
Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This