Hoje, vamos iniciar uma nova série aqui no Devi Shala. Que são reflexões sobre o Sagrado Feminino e como colocá-lo em prática no nosso dia-a-dia. Começando bem do começo. Nessas duas primeiras edições, vamos conversar sobre as duas forças maiores que nos dão base, que são nossa fundação e que são nossa grande fonte de conexão. A primeira delas é com as fases da lua. É muito natural na vida contemporânea esquecermos de olhar para o céu e por isso, muitas vezes nem sabemos em qual lua estamos. Em muitos lugares, há tantos prédios, que esquecemos que acima de nós há também o grande manto azul estrelado da Mãe Divina nos cobrindo, e a radiância da Avó Lua, que as vezes está plena quando está cheia, mingua, esconde-se, ocultando-se de nós, ou começa a mostrar-se novamente de pouco em pouco.

Portanto, farei alguns convites para que você possa começar a restabelecer essa conexão com a Lua da qual somos filhas, que rege nossos próprios ciclos internos e com a qual partilhamos especial ligação e conexão, não só fisiológica mas como Guardiã dos seus Mistérios de mutabilidade e transformação no ciclo de 28 dias e nas 13 luas anuais (levando em consideração o mês em que temos 2 lunações).

  1. Lembre-se de todas as noites olhar para o céu e procurar pela lua. Nem sempre ela está visível, mas este simples ato começa a nos abrir para estar disponível para senti-la, muito mais do que vê-la. É uma lembrança: estou aqui.
  2. Faça um diário lunar e anote as fases da lua e como você se sente em cada uma delas. Anote seus sentimentos, suas emoções, seus sonhos, intuições e percepções, como você se sente fisicamente e reflexões. Com o tempo, você conseguirá observar e reconhecer padrões e perceber como é seu fluxo interno.
  3. Comece a perceber como a fase da lua te influencia. Como você fica na crescente, na cheia, na minguante e na nova. Como essas fases se manifestam em você?
  4. Aproveite as fases da lua para fazer algo que potencialize ou melhor, use a qualidade mais forte que ela traz em um sentido prático:
    – Lua crescente: inicie um curso/estudo ou faça uma atividade que seja só para você. Você pode ser bem egoísta nessa fase. O que você quer, vá atrás!
    – Lua cheia: saia para a vida. Socialize. Mostre-se. Seduza. Ame. Você também pode colocar em prática a Meditação de Puxar a força da lua.
    – Lua minguante: Doe objetos. Limpe seus armários. Limpe sua casa. Limpe sua mente e suas emoções. Deixe ir. Deixe esvaziar-se.
    – Lua nova: Recolha-se. Fique mais sozinha. Pratique a quietude. Sente-se na escuridão da noite e deixe-se envolver pela imobilidade, introspecção e silêncio que existe na natureza. Permita-se das uma pausa e descansar mais!

Bem, assim, vamos começando a perceber que a reconexão do Sagrado vai acontecer em todos os momentos que eu abrir uma brecha para o Feminino entrar, ou melhor, manifestar-se de dentro para fora e de fora para dentro. É uma prática de perceber que faço parte do todo e que este todo do qual faço parte está ao meu redor, na natureza e em suas manifestações. Boas práticas, filhas da lua!

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This