“Que seu manto cubra meus ombros
que estão pesados, que estão cansados.
Que eu receba seu acalento
como um ninar, um acalmar, um apaziguar.

Que seu manto cubra minha cabeça
e serenize meus pensamos que estão aflitos
Que eu receba sua bênção
como um raio de luz, clareza e calma.

Que seu manto cubra minhas costas
e afaste todas as influências negativas
Que eu receba sua proteção
como um escudo, uma defesa e força indestrutível.

Que seu manto me cubra, Maria.
Que sua paz recaia sobre mim, Maria.
Que sua voz acalme meu coração, Maria.
Que você passe em minha frente e guie meus passos, Maria.

Que assim seja!
Abençoada seja.”

Hoje eu trago Maria, porque é Nela que penso quando fico desolada. Não é comum isso acontecer. Mas, às vezes o fardo fica pesado demais e a guerreira pode sentir-se sozinha e desamparada. O que é normal. Maria é como um grande abraço, uma força incrível com uma suavidade inestimável. Ela é exatamente o que precisamos, muitas vezes. Porque Ela é fortíssima. Porque Ela é amabilíssima. Porque Ela é tudo que o Feminino Autêntico é e precisa ser. Ela é exatamente o que precisamos. E sinto seu manto como se o céu descesse sobre nós, por um instante, tudo fica perfeito novamente. Ela me concede a pausa. Porque muitas vezes, precisamos experimentar ficar sim, no meio do redemoinho apenas observando, sem fugir ou sem temer. Com seu manto sobre nós, sinto que podemos tudo. Porque muitas vezes a atitude mais sábia é não fazer absolutamente nada é ficar parada e apenas esperar. Então, que hoje possamos juntas, aprender a esperar acolhidas sob o manto azul profundo de Maria.

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

imagem: Kasima

Pin It on Pinterest

Share This