“Mãe do Céu, Mãe do Grão
Mãe da Terra e Mãe do Pão
Venha a mim que vou a ti
unidas em ventre e unidas em mim
semente em potencial 
ventre laborioso
Mistérios do Útero essencial
Unidas agora estamos
de coração para coração
nos curamos
nos perdoamos
nos deleitamos
Somos uma perante a criação
porque é através de ti que tudo vem a ser criado
Criemos agora uma nova vida juntas
que morra tudo aquilo que nos afasta 
que renasça a misteriosa sabedoria do feminino em nós
que vivamos nosso potencial de sexualidade, gestação e maternidade
em vida criando uma nova realidade juntas
do eterno ciclo de renovação que inicia-se agora 
em mim através de ti para sempre em nós.”

Que assim seja para mim
Que assim seja para você
Que assim seja para nós!

É essencial entendermos que “toda mãe contêm em si a filha, e toda filha contém em si a mãe, e que toda mulher se estende para trás em sua mãe e para frente em sua filha”, como diz Jung. Nós como mulher contemos a três faces do feminino em nós. Somos o graal em potencial. Somos a semente. Somos também a ceifa. Por conta disse, somos a filha eterna, somos a mãe, mas somos também a avó. E tudo isso é quem somos. Hoje, convido a uma reflexão de reconhecimento da mãe que contêm em nós e como estamos nos relacionando com ela. A forma como entendemos a capacidade de nutrir, de ouvir, de educar e elevar um outro ser ao seu máximo de potencial. Convido você a perceber o quanto esta em sintonia com seus ritmos internos e com a ciclicidade da vida. O quanto você confia na vida? E acima de tudo, quanto tempo e espaço você abre em seus dias para ser mãe de si mesma e cuidar-se, nutrir-se e dedicar generosa atenção a si mesma?

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This