Uma aluna que está grávida que foi o veículo de inspiração para o nascimento desta meditação. E digo que é de empoderamento, porque tudo que leva a mulher que gesta para dentro de si, em contado com o despertar de suas forças instintivas, primitivas e profundas, é o despertar dos seus poderes, intuições, sabedorias, conexões profundas com as ancestrais femininas e com os arquétipos das deusas mães de força, abertura e criatividade.

Então, vamos lá!

Sente-se de forma confortável. Pode ser com as pernas cruzadas, em postura de lótus ou até mesmo em uma cadeira. Porém, mantenha a coluna ereta, em uma postura firme e descontraída ao mesmo tempo. A cabeça no prolongamento da coluna e o queixo paralelo ao solo. Você vai deixar as mãos relaxadas sobre o colo, porém, com cada mão a frente de um ovário. Mão esquerda, ovário esquerdo. Mão direita, ovário direito. Conecte-se com suas respiração e sinta que ela vai até seus ovários. Da narina esquerda para o ovário esquerdo e da narina direita para o ovário direito. Ao expirar, essas energias formam o símbolo do infinito. Trocando e misturando suas energias. Sendo que o centro deste infinito é seu próprio útero. Ao inspirar novamente, levo a energia para os ovários e ao expirar elas circulam dos ovários para o útero e do útero para os ovários, desenhando o infinito. Imagine que está purificando, liberando seus medos, inseguranças, dúvidas e memórias negativas…tudo que precisa ir, para abrir espaço para a luz do feminino divino dentro de você, em cada ovário e em seu útero que acolhe seu bebê. Faça isso por um tempo.

Depois, avance. Inspire, sentindo que potencializa essa energia, em infinito e ao expirar ela sobe como um feixe de luz do centro do seu útero até o centro do seu cardíaco. Estabelecendo uma conexão direita de útero e coração. Nutra esta conexão e permita que a luz do feminino profunda que habita em seu útero e no útero das suas ancestrais e no útero da Grande Mãe, purifique, fortaleça e abençoe seu coração. Eliminando mágoas, inseguranças, solidão, confusão e quaisquer outros sentimentos e emoções de baixa vibração, elevando seu coração para ser preenchido pelo amor mais profundo e forte da Mãe Divina e de todas as manifestações das deusas mães. Se desejar, repita mentalmente o nome de uma deusa mãe específica, pedindo para que ela habite em seu coração com amor, acolhimento, preenchimento, nutrição e segurança. Pode chamar por Ísis, por Deméter, por Gaia, por Pachamama ou por quaisquer outra deusa mãe. Ou só por Mãe Divina.

Quando sentir-se preenchida e envolvida em luz de ventre ao coração, deixe essa energia amorosa, tocar desde o coração do seu bebê até o coração da eternidade da Mãe Divina além do topo da sua cabeça buscando o infinito. Peça proteção para os seres angelicais e celestiais e por todas as forças de sua devoção. Que as deusas guardiãs das grávidas e do parto te guiem e te protejam. Abençoem-me Durga, Ártemis, Hécate e que Ísis me guarde em suas asas e que o manto estrelado da Grande Mãe Nut me proteja.

Que assim seja.

Termine agradecendo e compartilhando essa experiência em silêncio com seu bebê.

Faça sempre que precisar nutrir-se, fortalecer-se e voltar-se para a fonte de todo o seu empoderamento que está nas expressões e manifestações do Feminino Sagrado dentro de você!

Confie!

Namaste!

por Ana Paula Malagueta

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

 

Pin It on Pinterest

Share This