Conforme vamos envelhecendo, vamos aos poucos nos distanciando da nossa parte criança. Vamos enrijecendo, criando proteções, tornando-nos sérios demais, tornando-nos sem humor e deixando de rir, ficando com medo de tudo e o pior de tudo, achando que sabemos demais. Vivemos em uma sociedade que glorifica a mente e o fazer, conquistar, possuir e ter. Muitas das características que acabamos assumindo para “caber” e “atender” às necessidades da sociedade patriarcal faz com que nos distanciemos de uma parte importantíssima de nós que é a nossa Menina(o) Interior. Aquela parte de nós que é alegre, corajosa e ousada, criativa e curiosa, entusiasmada pela vida e por experimentá-la, que nos abre para tudo: pessoas e acontecimentos e acima de tudo o encantamento com relação à vida e às pessoas.

A Menina Interior é nossa face donzela. É nossa Primavera interior e também a Primavera Mítica da vida. Aquela que carrega características como o impulso ao novo, a curiosidade frente ao desconhecido, a vontade de sair para o mundo e conhecer, a criatividade que surge de um momento de disponibilidade, o encantamento frente à vida e também a disposição física e energética para ir atrás e explorar o mundo. A nossa menina é quem nos leva para passear pela vida, pelos caminhos desconhecidos, é nossa pequena exploradora que nos impulsiona em sair em jornada pela vida, e não acomodar-se ou vir a pensar que já tenho e sei tudo que preciso. Então, está bom ficar onde está. A Menina está sempre em movimento. Como a criança também está. E não importa se ela já viu aquele desenho dez mil vezes, quando ela vê é sempre como a primeira vez. Já pensou como isso é algo que perdemos e que prejudica em muito nossa vida?

Porque é o fato de acharmos que já fizemos algo antes, ouvimos antes ou conhecemos em profundidade, que irá fechar as portas na cara da nossa Menina. É a falsa maturidade: o sabichão. O ego todo poderoso que detêm o poder e conhecimento. Quando na verdade, não sabe nada, porque trancou sua criança em um calabouço muito bem elaborado e mobiliado com suas conquistas. E que na verdade, está sufocado com todo o seu SABER e sua MATURIDADE.

É claro que vamos aprendendo com a vida. É claro que vamos amadurecendo. É claro que vamos agregando saber. Mas, estes não podem fechar a porta para a Menina. Porque na verdade, foi Ela quem trouxe você até onde esta. Onde há um saber, há uma menina que foi buscá-la. Onde há uma conquista, há uma menina que um dia impulsionou esse desejo. Então, onde fica todo o SABER e MATURIDADE sem a MENINA? Fica vazio. Fica empoeirado. Fica enrijecido. Fica parado no tempo, como um museu que não é visitado.

Algo que aprendi com o Yoga é o poder da repetição. Ouvir mil vezes o que você já ouviu. Fazer cem mil vezes o que você já fez. Falar quatrocentas milhões de vezes o que já falei. Estudar tudo aquilo que já estudo há muitos anos. É continuar. Nunca parar. E isso é cultivar a MENINA INTERIOR, junto e ao mesmo tempo que estamos cultivando a nossa ANCIÃ INTERIOR, que é aquela que é nosso depositário de experiência e verdadeiro saber e maturidade, sem nunca esquecer que a menina está sempre junta. É ser JOVEM enquanto VELHA e VELHA enquanto JOVEM, como já dizia nossa amada Clarissa Pinkola Estés.

Portanto, toda a vez que ouvir algo que já ouvi antes, ouça como se fosse a primeira vez. Amma já apontou isso. Quanto nos colocamos frente a um conhecimento com arrogância por penso que já sei tudo, deixo de verdadeiramente aprender, porque não uso a minha Menina! Então, quando for fazer a mesma tarefa que faço sempre, que faça como se fosse a primeira vez. Quando for ver ou encontrar uma pessoa, faça-o como se fosse a primeira vez. Porque para as crianças tudo é a PRIMEIRO VEZ, e elas estão certas, porque na verdade, nunca fazemos algo pela segunda vez, porque só o MOMENTO PRESENTE EXISTE, e tudo é feito pela PRIMEIRA VEZ NAQUELE MOMENTO, porque este momento NUNCA EXISTIU ANTES. Já pensou nisso?

Se estou lavando louça hoje, é a primeira vez que faço hoje e nesta hora, porque hoje nunca existiu antes. Isto mundo TOTALMENTE NOSSA FORMA DE VER A VIDA e DE UTILIZAR A SABEDORIA DA MENINA INTERIOR, que nos chama para VIVER O MOMENTO PRESENTE E SEUS INFINITOS AGORAS!

Então, que tal levar sua menina interior para brincar, não só nesse dia das crianças mas sempre? E do que sua menina mais gosta de brincar? DE VIVER O AGORA, E SÓ.

Boas brincadeiras e travessuras!
Namaste!

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This