Creio que a pergunta que as mulheres mais diversas me fazem, seja quando cruzam comigo ou por email é: O que é um Círculo de Mulheres? A segunda pergunta mais feita: Mas o que vocês fazem lá? Bem, se essas perguntas também cruzaram sua cabeça em algum momento, ou se essas também são suas dúvidas. Então, este texto é para você! É claro que não tenho como falar por todos os Círculos de Mulheres que existem no mundo, e nem essa é minha pretensão. Porque uma coisa é certa: cada círculo, cada roda, cada grupo de mulheres que se juntam sempre será único. E a mulher que está na liderança de um círculo terá sua forma única de conduzir as vivências. Isso é o mais belo de tudo. Portanto, o que posso trazer é a minha experiência. Sendo que todas são válidas e todas as mulheres irão se juntar as rodas que irão ressonar com aquilo que ela precisa em determinado momento. Todas as rodas se somam. Nenhuma nunca se exclui. E é da natureza do feminino permitir que as mulheres sejam livres para ir onde precisam e voltar para onde desejam sempre que precisarem. Porque, no final de tudo, pertencemos a todos os círculos de mulheres e a nenhum deles. Porque somos livres. A fonte é a mesma. As mulheres formam em um sentido mais amplo, círculos de mulheres o tempo todo e em todos os lugares: fora e dentro de casa.

Bem, vou responder uma pergunta de cada vez. Focando na mais básica que é o que seria um círculo de mulheres. Em um sentido mais genérico, um círculo são mulheres que se colocam em roda em torno de um centro com um propósito em comum. Este propósito pode ser o tema que é colocado pela liderança ou um que é determinado em conjunto. Hoje, podemos trabalhar uma deusa específica, uma qualidade/virtude ou uma questão que é bem da natureza do mundo das mulheres, como por exemplo: Os Mistérios do Sangue: as mulheres e os arquétipos do ciclo, que é um dos carros chefes do meu círculo. Definido o tema, juntamo-nos. Todo círculo tem algo que as mulheres podem levar, como velas ou objetos relativos ao tema trabalhado, para desenvolver as vivências. No Círculo de Mulheres, sentamos em roda e vivenciamos a experiência circular, onde todas somos iguais frente ao centro. O centro é nosso ponto focal, nosso eixo, nosso axis. Dentro das tradições indianas, como nos yantras, temos o ponto do centro ou o Meru. O axis onde construímos tudo ao redor. Onde o mundo desenvolve-se. Então, podemos dizer que o Círculo se desenvolve a partir do seu centro e que nós somos o centro e que o centro somos nós. Lá, podem ter todos os tipos de coisa. É o altar que contêm tudo aquilo que remete e aproxima-nos do propósito e lembra de onde vem nossa nutrição e para onde deve ir nossa atenção. A energia então, circula entre as participantes e sempre volta para o centro e dele para nós e de nós para ele.

Tá bom. Vocês sentam em roda. Deve rolar umas mãos dadas. Um centro. Umas velas, talvez. Mas, o que vocês fazem lá? Ué, não sabia, que dançamos nua em volta da fogueira? rsrsr….essa é a coisa que mais ouvi até hoje. Sempre caio na risada. Nada contra dançar nua em volta da fogueira, na mata ou onde quer que seja. Cada círculo. Cada mulher. Cada roda. Trará e fará aquilo que sentir que irá ajudar aquele conjunto de mulheres que tem uma necessidade e um trabalho interno a ser feito e desenvolvido pelo grupo que nos tornamos. O que cada círculo fará terá muito a ver com aquilo que é mais verdadeiro para a focalizadora ou liderança de condução. Algumas podem seguir tradição e rituais wiccanos, outros xamânicos, outros da espiritualidade da deusa, outras um pouco disso tudo e muitas, mais muitas outras coisas, porque o Universo Feminino é imenso! E a criatividade feminina então nem se fala. Porém, no geral, podemos acender velas e colocar nossa sagrada presença na roda, compartilhar nossas histórias e jornada heróicas de vida, ouvir ensinamentos que venham de um livro, deusa e tradição específica, fazer arte, dançar, vivenciar a espiritualidade da deusa e feminina, pode rolar uns oráculos (ou sempre, né, por que qual mulher não gosta?) e compartilhamento de alimento sagrado. O que fazemos é que damos tempo para o feminino expressar-se através de nós. Nos colocamos disponíveis e a inspiração vem, para todas. Mesmo que não entendamos ou consigamos explicar racionalmente por meio de tantas palavras. No final, cada círculo é único.

De forma muito breve e resumida, espero que tenha esclarecido as perguntas mais perguntadas pelas mulheres que me procuram ou que descobrem que eu conduzo um círculo de mulheres. Os olhos brilham e outras ficam bem assustadas. Está tudo certo. Todas são bem-vinda e sem dúvida, irão achar um círculo para participar e fazer parte pelo tempo que desejar. Em quantos círculos precisar estar ou também em nenhum. Porque podemos transitar em círculos pelo mundo com diferentes focalizadoras, mas sempre estaremos em oportunidade de cultivar círculos em nossas casas e família, e nas comunidades que vivemos. Porque somos todas mulheres que fazemos parte do Círculo de Mulheres da Terra, e rumo ao milionésimo círculo que irá mudar para sempre a energia do mundo e restaurar finalmente o Divino Feminino em cada um de nós para todo o sempre.

Compaixao FB 843x403px

Para te ajudar a entender melhor. Siga esse guia passo-a-passo, e vá adentrando o Universo do Círculo de Mulheres, Sagrado Feminino, Empoderamento e Protagonismo e das Deusas:

  1. Vamos entender o que é Esse tal de Sagrado Feminino de uma vez por todas? Ouço todo mundo falando. É feminino sagrado para todos os lados e em todos os lugares. Vamos resolver isso de uma vez por todas!
  2. Tá bom. Já sei o que é Sagrado Feminino, agora o que é feminilidade? Porque não gosto de coisas rosas, de usar saias e falar toda fofa. Se o círculo de mulheres e esse tal de caminho da feminilidade for isso, nem quero saber! Se aflija não, segura na minha mão e vem!
  3. Será que agora eu já posso entrar nessa roda? Quero saber o que para que de fato serve esse círculo de mulheres, porque só ouço isso de uns anos para cá, e tem tantas opções. Círculos de Mulheres para todo lá…vem cá, vem!
  4. Creio que agora já dá para a gente falar em deusas, né?! Sabe: Ísis, Deméter, Gaia, Perséfone, Hécate, Athena, Ártemis, Baba Yaga…quê? Conheço nada disso! Socorro! Ah, confessa que eu sei que pelo menos já ouviu falar da deusa do amor?! Afrodite? Então, vem…de coração aberto.
  5. Ufa! Que loucura, hein?! Você ainda não ouviu nada. Mas, antes de ficar doida de vez com todo esse papo circular, vamos reencontrar nosso centro? Porque sem ele tudo pode ficar muito difícil mesmo. Então, respire, centre-se e acalma-se.
  6. Creio que já podemos passar para um papo mais hardcore, né? Desses daquelas feministas que você vê por aí, sim. O melhor dos papos e aquele que é essencial para todas as mulheres que estão no mundo. Não podemos deixar de falar nisso. Afinal, estamos falando dos nossos direitos como mulher.
  7. Bem, vamos fechar com o famoso empoderamento feminino. Essa palavrinha ficou mais batida que batida de limão, né? Mas, não é azeda não…é bem docinha, temperada com umas ervas e mel. Estamos juntas nesta busca pelos nossos direitos, pela nossa autonomia e pelo empoderamento de tudo que um dia foi nos tirado.

Espero realmente que este artigo tenha sido útil. Agora, se um dia tiver uma mulher querendo conhecer tudo isso e não saber por onde começar, espero que seja útil para ela também. Que um dia nos encontremos pelos círculos virtuais de mulheres ou pelos círculos da vida. Porque a espiral nunca mais irá parar de girar.

Namaste!

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This