Honrando cada força maternal que existe no mundo, em que cada ser humano: mulheres e homens, e em cada expressão da natureza. Que possamos também, honrar nossas mães interiores, para que possamos despertar todas as expressões do feminino e integrar-nos com nossas mães interiores. Quando entendemos que todas nós somos antes de qualquer coisa, mães de nós mesmas, conseguimos compreender todas as escolhas que foram feitas por nossas mães nesta vida. Quando compreendemos o papel das mães dentro de nós, compreendemos e respeitamos mais nossas mães nesta vida. Assim, honrando o ventre que habitamos, o ventre de onde nascemos e o ventre da Grande Mãe, do amor, da nutrição e do profundo saber feminino. A mãe é aquela que nos oferta tudo necessário para podermos ser livres e plenas. Então, que neste dia honremos a todas as expressões da maternidade, dentro e fora, em todas as partes: de forma honesta e pura. Porque a mãe está em todas as partes e em todas as pessoas. Porque toda a vida veio de uma mãe e de um ventre. Todas as vidas, inclusive a sua veio de um ventre. Então, toda vida é sagrada e esse ventre: um fazedor de milagres!

Invocação à Deméter

“Força da lua cheia,
repleta de luz e amor incomensurável,
incondicional!
Grande Útero e cálice sagrado!
Preencha-me com Teu amor,
para que eu aprenda a me amar
e sentir-me completa dentro de mim.
Graal divino,
Que em suas águas e colo celestial
encontre meu porto seguro, meu acolhimento,
toda a minha segurança.
Pois, volto-me para minhas raízes,
que estarão para sempre em ti – mãe!
Deusa Deméter,
Senhora dos grãos, agricultura e doadora de vida.
Que cada passo meu, gere um desabrochar lindo de colheitas maduras e abundantes.
Tu, Guardiã dos Mistérios do Sagrado Feminino,
do sagrado vale de Elêusis,
Leva-me para as minhas profundezas,
para conhecer-me profundamente.
Inicia-me nos mistérios do gestar, do sangue e do sagrado ato de parir e nutrir.
Através de Ti e por causa de Ti,
todas as vidas brotam e crescem.
A terra se torna fértil, nunca falta alimento para nós
e nem acolhimento.
Tu és a deusa do abraço infinito,
que acolhe a todas as pessoas,
assim como a sua amada filha Coré.
Ensina-me a entender meus ciclos, o poder da paciência da gestação e do laborioso parir:
filhos, sonhos, projetos e mudanças.
Ensina-me a sabedoria do acolhimento, da nutrição e do eterno verão,
Para que minha vida se preencha de paz, abundância, realização e nutrição.
Primeiro em mim e para mim.
Ensina-me a ser mãe de mim mesma,
para assim poder conseguir acolher meus filhos, familiares, amigos e seres da natureza.
Blessed Be!”

 

 

Imagem: desconhecido
_________________________________
Copyright © Todos os direitos reservados.
ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por Lei.
Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This