É incrível como muitas vezes a tal da suposta liberdade que eu prezava também era na verdade o que mais me aprisionava. Eu queria tanto ser livre que não percebia o quanto esse desejo era uma prisão que eu carregava para todos os lados. Até Saturno transitar pelo meu Ascendente que é a casa do eu, que contêm entre algumas coisas como eu me mostro para o mundo e como me relacionado e vejo a vida, ou seja, como eu entendo o que é a vida, além de ser minha expressão, aparência e físico também, entre outras tantas coisas. Saturno que agora está em Sagitário, está também em algum lugar no seu mapa fazendo sua mágica. Saturno, o Senhor do Tempo, trazendo para vida os seus limites e a realidade.

Está sendo um aprendizado e tanto. Saturno está fazendo-me olhar para minha liberdade com suas limitações todas. Porque nunca me senti tão cansada como agora, tão sem energia, com dores pelo corpo e nas articulações e até mesmo sentindo os dentes. Ele está pegando no meu físico para primeiro fazer-me parar verdadeiramente e acima de tudo, fazer-me questionar o quão além do meu limite eu sempre ia, porque sempre tive muita disposição, energia e poder para fazer tudo que queria e um pouco mais. Está pegando no meu físico para mostrar que se eu achava que estava me cuidando bem, ainda não é o suficiente. Assim como também está fazendo-me questionar o que de fato é liberdade.

Saturno está ajudando a olhar para as minhas indulgências e liberdade que na verdade era apenas indisciplina e não rebeldia. Eu sou rebelde e preciso romper com muitas coisas, mas, há alguns setores da minha vida que onde eu achava que era livre, na verdade eu estava aprisionada pela minha falsa liberdade, carregada de fuga da profundidade e verdade que a disciplina iria me trazer, assim como me traz em tantas outras partes da minha vida. Com a presença de Saturno, deste planeta que muitas pessoas tem medo, que na astrologia védica é conhecido como Shani e o nosso guru que ensina e faz crescer, não tem nada de maléfica como podemos pensar, tem é muito aprendizado. Muito mesmo. E o aprendizado sempre vem com um bom tapa na sua cara, um empurrão que faz você acordar na marra e a educação para que amadureçamos.

Seu trânsito ainda vai ficar uns anos aqui, ensinando-me, passando com seu trator por cima de mim e depois dando ré, só para ver se eu entendi da primeira vez. E, fazendo-me fisicamente e palpavelmente parar, estou sendo obrigada a pensar na vida. Na realidade da minha vida. Para que eu possa entender o que eu preciso fazer, mudar e as disciplinas que tenho que assumir para verdadeiramente ser livre e viver meu Urano – que também está na Casa 1 que é em Sagitário, meu ascendente – de forma real e saudável, e saber quando devo romper, transgredir e ser autêntica de verdade, com uma fundação forte e bem estruturada, a qual Saturno neste momento está me obrigando a encarar de fato.

Preciso olhar para mim de forma nua e crua. Sem mimimi. Porque fazer mimimim só piora frente a ele. Que irá olhar com seus olhos bem fundo nos meus e acabar com meus ataques histéricos, de menina que perdeu seu pirulito, porque ele veio e jogou ele no chão. É. Olhar nos olhos de Saturno é foda, mas é necessário. É bem-vindo. Porque senão ficamos ali na zona de conforto, crendo que está tudo bem…e se de fato tivesse, estaria tudo mais ameno, mas, quando não está, sente-se mais e é necessário levantar a bunda e ir atrás da mudança. Porque quando Saturno está presente, nada vem de mãos beijadas. É preciso correr atrás. Trabalhar. Fazer e acontecer. Porque deixar quieto não é algo do seu feitio. Ainda bem!

É aprender a reconhecer minhas limitações. Aprender que preciso cuidar muito bem de mim. Que ser rebelde sem causa muitas vezes é pura infantilidade e que precisamos de uma expressão autêntica, mas também real. Verdadeira. Que precisa estar harmonia com o todo. Que na verdade é a disciplina que liberta e não o contrário. Que está tudo bem parar. Que muitas vezes é preciso deixar as armas de lado e dar um passo para trás, refletir e planejar melhor antes de seguir adiante. Que preciso ver as coisas com mais seriedade e maturidade e que preciso cuidar do meu físico, porque preciso dele para seguir minha rebeldia, agora, muito bem fundamentada, porque ser livre é algo interno e viver a realidade da vida não poda minha liberdade, pelo contrário! Através dessa experiência vou começando a entender o que é ser realmente livre. Vivendo-a de forma mais natural e flexível. Com disciplina, perseverança e vontade interior vou construindo minha vida com o auxílio desse grande mestre! Que assim seja!

Copyright © Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por LEI.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This