A TPM é um momento muito precioso dentro do ritmo cíclico feminino. É um tempo que deveríamos tirar para nós mesmas. Por isso, eu gosto de chamar de Tempo Para nós Mesmas e Tempo Para Meditar. Sim. Porque quanto mais fugimos deste período, quanto mais conflitamos com ele, quanto mais queremos que ele desapareça, mais forte ele irá se tornar. Isso, porque este é um período que pede confrontamento. Não no sentido que vivemos, como um período de tensão, mas sim com um período onde precisamos confrontar tudo aquilo que precisa ser visto, ser ouvido, ser sentido e acima de tudo ser reconhecido. É uma das fases do nosso ciclo pessoal, onde nossa Sabedoria Inata Feminina está tentando desesperadamente falar conosco. E quando não ouvimos, ela encontra outras formas de se fazer ouvir. E muitas vezes, a única forma é pela dor mesmo. Porque aí, ficamos paralisadas e somos “forçadas”, “obrigadas” a ouvi-la na “marra”. Mas, nem sempre isso funciona. O tiro acaba saindo pela culatra e acabamos fugindo até mesmo desses avisos do corpo, brigando com eles, negando-os e passando o período todo fazendo de tudo para que desapareçam. Quanto mais fazemos isso, mais fortes eles voltam no mês seguinte. Porque na vida feminina, tudo é cíclico. Ou seja, tudo se repete, mês após mês.

Por isso, vou sugerir 3 coisinhas para você fazer durante esse período:

1. Diário da TPM

Na verdade, eu sempre sugiro que todas as mulheres tenham um Diário Lunar, para fazer anotações durante todo seu ciclo, porém, se isso não for possível, faça as anotações principalmente durante o período pré-menstrual. Ande com ele para todos os lados. E tudo aquilo (e são muitos aquilos!) que passar pela sua cabeça, vai anotando. Não importa o que seja. Anote. Quando você entrar no período menstrual e perceber que já “se acalmou”, você irá pegar esse caderninho e reler tudo. Isso pode ser uma grande terapia e um bálsamo de autoconhecimento. Ou pode ser um assunto para sua terapia!

2. Não chute a bola de neve!

A Miranda Gray, criadora da Bênção do Útero, usa esse termo: não chute a bola de neve! Durante o período pré-menstrual. Tirando em miúdos, não incentive seus pensamentos e as histórias que passam pela sua cabeça. Porque a partir de um pensamento, como: Eu sei que ele está me traindo!, a sua mente irá trazer um monte de coisas para justificar e apoiar essa linha de pensamento! E isso, gera o efeito Bola de Neve. Onde as coisas tomam uma proporção absurda e saem do controle, e acabam ferindo a você mesma e levando todo mundo a sua volta junta. Por isso, reforço a ideia do 1o item. Escreva as coisas como eles veem na cabeça, sem dar tanta atenção para elas, sem concordar ou discordar, sem dar continuidade.

3. Tudo é uma questão de timing

Esta é a fase que precisamos nos ajustar com nosso timing interior. Faça aquilo que você sentir que precisa ser feito no momento certo. Por exemplo: Se estiver com vontade de dormir, descanse. Nem que seja fechar os olhos por 5 minutos no banheiro da empresa, se este for o único refúgio possível! Se estou energizada, use essa energia. Se estou afim de ficar sozinha, você pode, por exemplo, ir almoçar sozinha, sem socializar neste dia no trabalho. Enfim, tudo é uma questão de respeitar o “timing” ou seja, o tempo das coisas. Muito do estresse que surge neste período é por fazer algo que eu não quero e deixar de fazer o que você precisa no momento certo.

Imagem: Holly McSweeney
_________________________________
Copyright © Todos os direitos reservados.
ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é protegida por Lei.
Para usar este texto entre em contato com a autora.

Pin It on Pinterest

Share This